terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Educação na ladeira do inferno


Não sei você, mas eu estou de luto. A educação no RS, um estado que ergueu-se baseado nela e na cultura do trabalho, está finalmente sendo derrotada. Este é o principal resultado do enfrentamento entre o CPERS e o governo Yeda.
Na minha opinião, o CPERS errou. Um dos principais fatores a ser monitorado no marketing é o ambiente externo. Quando o ambiente externo é adverso e o oponente mostra-se forte no território, é preciso ter paciência. E o CPERS não teve. Calculou mal. Interpretou mal. A campanha publicitária feita em torno ao evento foi a expressão desoladora disso.
O mais grave é que o CPERS nos últimos anos deixou a bandeira da defesa da educação sair de suas mãos. Subestimou o governo Yeda, que colocou Mariza Abreu na Secretaria de Educação exatamente para fazer o ajuste neoliberal no setor público derrotando os professores e tomar a bandeira da educação em suas mãos, nesta ordem. O primeiro passo foi dado. Agora, a educação desce a ladeira do inferno.

Um comentário:

Junia disse...

E onde ficam, nesse emaranhado de estratégias, as crianças?

Ficam à mercê de suas comunidades. Sejam elas boas (de "guerreiros"), sejam elas más (com todo o tráfico e exposição de menores, etc).

Mais investimento em divulgação aos realmente interessados: isto é o que nos falta em comunicação.

Não seria preciso mais nada, pois o ser humano é naturalmente auto-didata: